22 Mai 2020

Projeto de estudantes de jornalismo oferece informações de qualidade do Covid-19

Além de contribuir com a conscientização sobre a doença, ação treina os estudantes para o futuro.

Estudantes de jornalismo da PUCPR produzem materiais especiais de forma remota durante pandemia. Na foto, exemplo de reportagem produzida pelo projeto Fatos Narrativas Midiáticas

Estudantes do curso de Jornalismo da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) retornaram às atividades com produção remota do projeto Fatos Narrativas Midiáticas. O projeto foi criado em 2018 com o propósito de divulgar notícias sobre a universidade e a cidade de Curitiba.

O retorno da Fatos Narrativas Midiáticas tem como principal objetivo contribuir com informações de qualidade nesse período de combate à pandemia de Covid-19. Cerca de 40 estudantes participam do projeto, produzindo matérias diárias e publicando no Portal Comunicare com a orientação dos professores Renan Colombo e Lenise Aubrift Klenk.

 

FATOS 2020

Dois fatores influenciariam na escolha de produzir matérias sobre o novo coronavírus: o momento histórico que a sociedade está vivendo, bem como os jornalistas e também os estudantes de jornalismo, e a necessidade da população por informações e esclarecimentos sobre o Covid-19.

Segundo professor Renan Colombo, a linha editorial é concentrada em dois focos: “local – sempre damos preferência para fazer reportagens sobre temas que envolvam Paraná e Curitiba, e o hiperlocal – que é o pouco da realidade da nossa universidade, matérias a respeito de temas que interfiram na vida dos estudantes”. No caso do conteúdo sobre o novo coronavírus “a linha é em âmbito estadual e municipal (Curitiba e Região), e também sobre como a PUC está se adaptado a esse momento e as iniciativas da universidade”, explica o professor Renan Colombo.

Aprendendo na prática

fatos narrativas midiáticas

Participantes do Fatos Narrativas Midiáticas em atividade do projeto antes das restrições impostas pelo novo coronavírus.

“Através do projeto, os estudantes conseguem aplicar os conhecimentos adquiridos em aula. Funciona também como uma sala de aula invertida, muitas técnicas são antecipados durante a produção das matérias. E projeto ajuda também os estudantes terem uma identificação maior com o curso e saberem o que um jornalista faz na prática”, explica o professor Renan Colombo.

Os encontros dos estudantes acontecem todas as tardes de segunda a sexta-feira, em uma sala virtual através do Blackboard, um dos sistemas usados pela Universidade durante as atividades remotas. São os próprios futuros jornalistas que realizam as entrevistas por telefone, fazem a redação, gravação de vídeos e criação de artes para as redes sociais. A produção de conteúdo de forma remota criou a oportunidade dos estudantes praticarem novas técnicas jornalísticas em ambientes virtuais.

Para a Mariana Alves de Oliveira, estudante do 1º período de Jornalismo, participar da Fatos Narrativas Midiáticas ajuda muito “abrir a cabeça” para o mundo. “Comecei a faculdade pensando em ir para uma área e na Fatos consigo trabalhar em diversos setores. Falar sobre saúde e cidade por exemplo, coisas que nunca pensei em escrever, tenho a oportunidade de exercitar lá”. Segundo a Mariana, “mesmo de longe está sendo muito produtiva” a participação na Fatos Narrativas Midiáticas.

Novas oportunidades para comunicar

Além das matérias produzidas para o Portal Comunicare, às sextas-feiras os estudantes se dedicam na produção de conteúdos especiais como lives nas redes sociais e podcasts.

O principal propósito da Fatos Narrativas Midiáticas é a formação. Através do projeto os professores conseguem apresentar novos conteúdos para os estudantes e também proporcionar uma experiência semelhante à do mercado de trabalho.